O diretor do estúdio CD Projekt Red, Adam Badowski, disse aos colaboradores que será obrigatório trabalhar seis dias por semana antes do lançamento de Cyberpunk 2077 – e afirma que “a maioria da equipa” compreende a necessidade de o fazer.

Embora a empresa tenha afirmado no ano passado que operava uma “política de crunch não obrigatório“, já não é esse o caso.

O Bloomberg relata que Badowski enviou um e-mail aos colaboradores na segunda-feira para os informar que agora é necessário completar um turno de fim de semana pago, para além da sua semana normal de trabalho.

Cyberpunk 2077 — Gangs of Night City

“Eu encarrego-me de receber todo o backlash da decisão”, escreveu ele. “Eu sei que isto está em oposição direta ao que dissemos sobre o crunch. Também está em oposição direta ao que eu pessoalmente cresci a acreditar há algum tempo – que o crunch nunca deveria ser a resposta. Mas esgotamos todos os outros meios possíveis de ultrapassar a situação”.

O diretor financeiro da CD Projekt, Piotr Nielubowicz, disse que a principal razão pela qual a empresa tinha implementado a nova política era para se livrar do maior número possível de bugs a tempo do tão esperado lançamento do jogo.

Em junho, a data de lançamento de Cyberpunk 2077 foi adiada em dois meses até 19 de novembro, marcando um segundo atraso para o jogo este ano, depois de ter adiado o lançamento original de abril para setembro.

Nielubowicz disse à Bloomberg que a data de lançamento do jogo não será adiada novamente.

Após o primeiro adiamento de Cyberpunk 2077 em janeiro, Adam Kiciński, o presidente da CD Projekt Red, disse que “infelizmente” será necessário algum atraso para completar o jogo.

Respondendo aos relatos, Badowski lançou uma declaração afirmando que a decisão de obrigar as pessoas ao crunch foi “uma das decisões mais difíceis que tive de tomar”.

Aqui na GameHub.pt não podemos deixar passar esta situação sem dar a nossa opinião que a vida das pessoas que estão a desenvolver o jogo são mais importantes que Cyberpunk 2077.

Adiar o jogo mais uma vez seria sensato e certamente as vendas não seriam afetadas tendo em conta a notoriedade gigante do jogo.