Life is Strange Episódio 2: Review

Max em Life is Strange
  • Plataformas: PC, PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One.
  • Gênero: Aventura gráfica, Episódico, Interativo
  • Lançamento: 29 de janeiro de 2015
  • Estúdio: Dontnod Entertainment
  • Editora: Square Enix
  • Preço: 19.99€

NOTA: Sendo um jogo muito focado na narrativa, esta Review poderá conter spoilers sobre o jogo.

Life is Strange foi lançado em 2015, é um jogo por episódios e aqui irei analisar o segundo episódio, Out of Time. Se quiserem ler a minha review do primeiro episódio, Chrysalis, podem ver aqui.

Apesar de no primeiro episódio termos ficado com a ideia que a história ia ser em torno da Rachel, neste episódio pouco se fala sobre ela. Vamos deparar-nos com decisões importantes que irão influenciar diretamente a vida dos amigos da Max, e ao contrário do que o jogo nos tinha habituado, algumas das grandes decisões que tomamos neste episódio não tem forma de ser revertidas.

LIFE IS STRANGE Episode 2 Launch Trailer

Agora começamos a perceber que algumas decisões que tomamos no passado têm impacto, nomeadamente sobre a Kate. A Kate é uma colega da turma da Max que vem de uma família extremamente religiosa, inicialmente não parecem ser assim tão próximas, mas após ter sido divulgado um vídeo de cariz sexual da Kate numa das festas do clube Vortex, a Max decide ajuda-la a tentar perceber o que realmente aconteceu. Como era de imaginar a divulgação do vídeo afeta imenso a Kate não só pela exposição, mas também em relação à sua família.

No primeiro episódio presenciamos uma discussão entre a Kate e o David (segurança da escola), nesta altura tivemos de tomar uma decisão, intervir na discussão ou apenas tirar uma foto. Esta decisão vai agora ter consequências, a Kate vai questionar-nos o porquê da nossa decisão, e dependendo da decisão anteriormente escolhida ela vai ficar a achar que nos preocupamos ou não com ela. Mas esta não é a única grande decisão que iremos tomar em relação à Kate. Após falarmos com ela sobre o vídeo e tentarmos perceber melhor o que aconteceu na festa, a Kate questiona-nos se deve ir à polícia prestar queixa ou se deve esperar ter provas suficientes para mostrar que o Nathan a drogou. Além desta decisão, mais tarde a Kate irá telefonar à Max e temos opção de atender ou rejeitar a chamada, estas decisões vão influenciar bastante a opinião da Kate em relação a estarmos ou não do lado dela, o que trará enormes consequências no futuro.

Depois do diálogo intenso com a Kate recebemos uma mensagem da Chloe para irmos tomar o pequeno almoço com ela. Durante o pequeno almoço o objetivo é provar à Chloe que o poder de retroceder no tempo é real. Mais tarde vamos com ela ao seu esconderijo, onde podemos explorar o espaço e descobrir algumas coisas sobre a ligação da Chloe e da Rachel, posto isto a Chloe decide fazer tiro ao alvo com a arma que roubou ao David. Com esta brincadeira o Frank encontra-nos. O Frank é um traficante de droga que a Chloe deve muito dinheiro, após ele a ameaçar com uma navalha a Max tem de decidir se deve disparar contra ele para proteger a Chloe ou não.

No fim do episódio a Kate tenta suicidar-se, mas a Max consegue chegar ao telhado para falar com ela e todo o diálogo fará a Kate desistir de saltar ou não. Contudo, todas as decisões que tomamos anteriormente terão grande impacto no diálogo e na decisão final da Kate.

De seguida, vamos até ao escritório do diretor, com o Nathan, o David e o professor Jefferson, onde de entre os três teremos de culpar um deles pela decisão da Kate.

Eu não consegui salvar a Kate e tu? Quem culpas-te? Deixa o teu comentário abaixo!

*O jogo foi adquirido pela GameHub.pt e a Review foi efetuada na Xbox One X. Aguardem a review dos próximos episódios à medida que vou jogando. Apoia a GameHub.pt no Patreon.

Se gostam dos nossos contéudos deixem o vosso Like na nossa página do Facebook. Podem também seguir-nos no Instagram ou Twitter. Adicionem a GameHub.pt aos vossos favoritos no Google News e acompanhem semanalmente o nosso Podcast.

REVIEW GERAL
Muito Bom
8