• Plataformas: PC, PS4, Xbox One, Switch
  • Género: RTS
  • Lançamento: 7 Março 2019
  • Produtora: Shiro Games
  • Editora: Shiro Games
  • Preço de Lançamento: 27,99€

Sempre pensaram em ter um jogo do estilo de Age of Empires mas na época de Vikings? Bem… então estão no sítio certo porque Northgard é isso e muito mais.

Northgard Official Release Trailer

A primeira vez que vi este jogo, ainda estava em Acesso Antecipado no Steam e como os jogos de estratégia são dos meus favoritos, vi alguns vídeos e informações sobre ele e confesso que fiquei curioso. Passado estes anos todos tive a oportunidade de jogar e que pérola que encontrei.

Sendo um jogo de estratégia o meu primeiro pensamento vai para “Como é que conseguem dar nova vida à fórmula?” porque sinto que tem existido nos últimos anos uma falta de criatividade e de risco por parte das produtoras em tentar mudar a fórmula de um jogo de estratégia. Felizmente Northgard consegue surpreender em quase todas as vertentes.

O maior dos Vikings

Jogabilidade de Northgard
Infelizmente os diálogos in-game não têm áudio

Confesso que quando comecei a jogar o modo de História, que é de longe aquele em que tinha mais interesse, não previa que existisse uma história daquelas que me faria lembrar daqui a muitos anos. Existem poucos jogos de estratégia que conseguem colocar um enfâse na narrativa como Starcraft 2: Wings of Liberty e este não foge muito à regra.

O Rei Supremo dos Vikings é assassinado por Hagen que lhe rouba o seu Chifre Real. Rig, o filho herdeiro ao trono, junto com o seu braço direito Brand ao descobrir o novo continente Northgard, embarcam numa aventura para vingar a morte do seu Rei.

Não vou revelar mais detalhes da narrativa, até porque não quero criar Spoilers. Mas o que posso dizer é que é decente. Felizmente é uma História coesa e coerente do início ao fim, mas que peca por momentos épicos.

Uma das principais falhas, que também é compreensível tendo em conta o preço do jogo, são as cutscenes para contar a história. Estas são imagens de artwork e adicionado por cima a voz de um narrador que digo já, interpreta muito bem a pronuncia de um Viking. Acredito que neste caso existisse cutscenes CGI poderia acrescentar muito mais impacto e muito mais ligação com o jogador.

Jogabilidade Perfeita mais difícil

Este talvez seja o ponto em que mais pessoas podem estar interessadas, no final de contas um RTS morre ou vive da sua jogabilidade. Neste aspeto o jogo está muito, mas mesmo muito bom.

Controlamos as unidades de forma individual e aqui o jogo tem o seu foco na vertente económica e de construções de novas infraestruturas. Essas novas infraestruturas vão ajudar ao nosso clã a crescer ainda mais.

Também existe o clássico sistema de atualizações que melhora as infraestruturas existentes. Pudemos também criar uma Forja onde pudemos melhorar os nossos aldeões ou as nossas tropas.

Jogabilidade de Northgard
O jogo é dificil seja qual for a dificuldade escolhida

O sistema de economia é muito bem pensado, mas é muito difícil de gerir porque, o jogo decorre em duas estações do ano que vão variando. Ora estamos na Primavera onde tudo corre muito bem com os nossos aldeões felizes porque tem uma casa para estar e comida, ora aparece o Inverno que corta as nossas produções tanto de Madeira como de Comida em 50% e aí sofremos na pele.

A dificuldade do jogo acredito que esteja um pouco elevada. Temos 3 dificuldades para escolher, Normal, Difícil ou Extremo. Escolhi a normal porque acreditei que esta era a mais equilibrada e a mais justa de eu analisar o jogo. Que enganado que estava.

Este jogo tem muito foco no Early Game. Recordo-me a jogar uma das primeiras missões em que tinha que acumular determinados pontos para cumprir um objetivo. Sendo que estava no início e eu a jogar em normal, não dei muita importância a esse meu objetivo e primeiro fui crescendo o meu clã a nível militar e a atualizar todas as minhas tropas e infraestruturas.

Quando começa a pensar que tinha que começar a focar-me no meu objetivo lá se foram cerca de 40 minutos de jogo para o lixo. Eu pensei para mim que como não me tinha focado no objetivo, que foi essa a razão de ter falhado a missão. Ao repetir então coloquei todos os meus esforços no objetivo e para surpresa minha, perdi à mesma e só à terceira é que lá consegui concluir a missão.

Acho que de tudo o que possa falar deste jogo, a dificuldade é sem dúvida a maior falha. Eu considero-me uma pessoa que tem alguma habilidade com o género de estratégia em tempo real. Mas Northgard levou-me a reconsiderar isso ainda para mais eu joguei na dificuldade Normal que devia ser uma experiência equilibrada e não o foi.

Apesar disso tudo e vendo pelo lado positivo, quem quiser um RTS que tete as suas habilidades como um verdadeiro líder de um clã, em Northgard vai encontrar o desafio ideal.

Uma arte de lhe tirar o chapéu

Jogabilidade de Northgard
Consoante as estações, os visuais mudam

Existem jogos que me deixam de boca aberta pelas suas capacidades gráficos. Principalmente aqueles que procuram o realismo, a realidade. Aqueles jogos em que quando encostamos à camara à cara da personagem vemos os poros da pele, vemos os pelos de cada cabelo, vemos as rugas dos olhos, tudo um detalhe incrível.

Northgard não é nada disso. Aqui tenho que tirar o chapéu aos artistas da Shiro Games que fizeram um trabalho perfeito na minha opinião. A estética do jogo não é procurar o realismo, mas sim um aspeto “cartonesco” de todo o mundo. Confesso que fiquei apaixonado desde o primeiro momento.

Todo este aspeto de cartoon do jogo torna-o mais “leve” e calma que achei muito refrescante para o género do RTS. A cima de tudo a palavra que podia aplicar à estética do jogo é bonita.

Quando nós mudamos de estação do ano, todo o território muda também. Por exemplo quando estamos no Outono temos predominantemente árvores com folhas castanhas enquanto na época de Inverno o mapa fica todo ele coberto de neve. Pode parecer algo simples, mas efetivamente acrescenta à jogabilidade eu ver que o mundo é dinâmico.

Um jogo infinito

Jogabilidade de Northgard
Existem muitos modos de jogo para todos os gostos

Os RTS são de uma forma geral jogos longos. Temos que construir a nossa economia toda, pudemos atualizar as infraestruturas, criar defesas nos nossos territórios, aumentar a nossa capacidade bélica entre tantas outras coisas. Em Northgard a longevidade do jogo é muito longa. Talvez um pouco demais para o meu gosto.

A missão da História principal tem missões que me chegaram a demorar mais de 2H de jogo. Claro que completei com calma mas acredito que ao serem mais curtas, seria um aspeto a melhorar.

Por falar em missões da História principal, existe algo que não posso deixar de dizer nesta review. A última missão, na minha opinião roça o perfeito. Não quero nem vou revelar spoilers, mas em termos de jogabilidade é sempre aquilo que espero na última missão de qualquer jogo. É a mais exigente e é aquela em que temos de usar tudo o que fomos aprendendo ao longo do jogo. Excelente trabalho Shiro Games.

Vikings para sempre

Jogabilidade de Northgard
Tens que proteger o teu clã de vários inimigos

As minhas expectativas eram medianas e confesso que me surpreendeu em muito. Jogabilidade, Áudio, Gráficos, História e muito mais fazem de Northgard um dos melhores do género de estratégia real.

Tendo em conta o preço acho que qualquer pessoa que tenha o mínimo de interesse deveria de o experimentar porque tenta evoluir e revolucionar em muitos aspetos, aquilo que já são padrões desde há muitos anos.

Nota: Uma cópia para PC do jogo foi gentilmente cedida pela Shiro Games a quem desde já agradecemos.

REVIEW GERAL
Excelente
9